Categorias
Confetes e News Desenvolvimento de Pessoas

Auto sabotagem de novo? Vamos parar com isso?

Acho que esse é um dos maiores pecados que podemos cometer, tanto em se tratando de carreira quanto do dia a dia. E é tão fácil! Criamos barreiras que na verdade não existem a não ser em nossa imaginação e ficamos paralisados sem saber como continuar. Deixando de lado razões psicológicas e traumas infantis, dá para perceber que fazemos isso sempre que não acreditamos nos nossos merecimentos, tentamos nos punir por coisas que nem temos consciência ou buscamos desculpas para a falta de foco e a procrastinação.

Começamos por criar expectativas irrealistas. – Ah, quero jogar tênis igual ao Nadal! – Vou ser uma modelo famosa como o Gisele! – Serei bilionário em cinco anos! Seria bom, né? No entanto, quando a expectativa não se realiza, simplesmente porque não é realizável, o que temos são os desapontamentos, a perda da auto confiança, o esquecimento das nossas qualidades e capacidades.

Vou lhe contar alguns aprendizados que andei encontrando nas minhas pesquisas. Eles poderão ajudar a quem quer deixar a auto sabotagem para trás.

A primeira coisa que podemos fazer para parar com esse comportamento destrutivo deve ser aceitar os fracassos como coisas naturais, mesmo que não sejam passíveis de palmas. Deixando de mergulhar na culpa, você achará coragem para levantar a cabeça e prosseguir. Fingir que a falta não é sua, só vai trazer mais problemas. Aceite, reconheça que errou, peça desculpas se achar necessário, e vá correndo consertar. Aprenda ainda como evitar que a situação se repita. Fácil? Claro que não, onde deixamos nosso amiguinho Ego, esse sujeito que nos cobra mais do que as pessoas da nossa vida?

Não se deixe dominar pelo pensamento de que tudo tem que ser perfeito. Nem sempre é possível chegar num resultado que não deixe brechas para melhoras. Se você correr atrás da perfeição no lugar de fazer o seu melhor, sempre sairá frustrado. Mesmo sabendo que o produto de seu esforço possa não ser perfeito, dedique toda a sua atenção ao trabalho pelo qual foi responsabilizado. Peça ajuda, se precisar, alguém que possa levá-lo um passo adiante. Muitas vezes, com um pequeno palpite de uma pessoa não diretamente envolvida no problema, poderá evitar horas de tentativas frustradas que você gastaria para encontrar a melhor solução.

Sei que quando estamos com dúvidas sobre como lidar com um trabalho ou um problema, é mais fácil deixar para amanhã. Você pode dizer a si mesmo que amanhã estará menos cansado, que trabalha melhor pela manhã, que hoje está com dor de cabeça. Enfim, desculpas certamente não faltarão. Procrastinação, todavia, é seu pior inimigo. E nem estou me restringindo apenas a situações de trabalho. Você pode fazer isso com problemas pessoais e familiares, esteja atento.

Deixe de se enganar, contando a si mesmo a falácia de que não tem tempo agora, terá mais tarde, noutro dia, noutro mês, noutro ano. Essa mentira é comum para adiar algo que, no fundo, você não quer fazer, seja pela razão que for. Quando uma situação dessas surgir e você não tiver escolha senão fazer a tarefa, seja objetivo. Marque data e horário para o término do trabalho. E cumpra! Não se deixe distrair ou perder o foco.

Ao afrontar uma incumbência aparentemente muito difícil, não pense que vai falhar antes de iniciar. Demita a insegurança, acredite na sua capacidade e vá em frente com confiança. Se tropeçar, peça ajuda. Insisto nisso porque muitas vezes as pessoas consideram pedir ajuda uma espécie de fraqueza. Aprenda que não é, pedir que alguém lhe dê apoio em situações complicadas mostra sua preocupação em fazer o melhor, além de dizer ao seu colega que confia nele. Claro que é bom retribuir sempre que possível.

Deixei para o final uma coisa que tem a ver com as pessoas da minha idade, a crença de ser muito velho para determinada atividade. Bobagem, deixe o ageísmo para os imbecis, preconceituosos e superficiais, que julgam as pessoas pela aparência. Os “velhos” deixaram de ser velhos há muito tempo. Agora são atletas, músicos, escritores, poetas, criadores, motoqueiros, ginastas, nadadores e até modelos. Existem centenas de exemplos de pessoas entre 60 e 100 anos que estão recebendo prêmios em atividades que antes eram consideradas exclusividade dos muito jovens. Inspire-se nelas, se você é um cara maduro.

Concorda que dá para fazer tudo isso? Vale a pena, posso afirmar. Novidades sempre trazem recomeços interessantes para todos nós.

Fotos: Dylann Hendricks e Alysha Rosly (em Unsplash) e Google

Por Maria do Carmo Marini

Há dez anos trabalhando com pessoas, seu desenvolvimento e o que elas querem dizer ao mundo, minha formação eclética me levou a viver experiências profissionais mais lúdicas e generosas . Escrevo artigos e livros, além de produzir conteúdo moderno, bem fundamentado e num visual extremamente prazeroso para clientes de diferentes segmentos.
Faço parte de uma tribo otimista e alegre e acredito que o mundo tem potenciais inexplorados e fascinantes a serem descobertos. Considero a família – marido, filhos, netos, irmãs e irmãos – meu porto seguro. Curiosidade e paixão pela vida me fazem aprender e buscar coisas novas sempre. Adoro gente inteligente e elegante. Viagens, cinema e livros me encantam, bem como encontrar os amigos para compartilhar boa comida e boa bebida. Estou sempre disposta a compartilhar experiências, conhecimentos e estórias.

Minha formação viaja de Engenharia Elétrica, passa por Consultoria de Carreira e Desenvolvimento de Pessoas, e mais umas coisinhas. Passo a vida a aprender, o que me permite produzir conteúdo de qualidade e compartilhar informações interessantes nas mídias sociais. Tenho especialização em Comunicação Corporativa pela FGV, Curadoria do Conhecimento pela Inesplorato e pós-graduação em Consultoria de Carreira pela FIA-USP. Sou parceira estratégica do Escritório de Carreiras da USP.

2 respostas em “Auto sabotagem de novo? Vamos parar com isso?”

Amiga. Ao longo da vida, em muita coisa fui melhorando e creio que por me permitir mudar principalmente, duas crenças : 1o. Substitui a “culpa” por uma resposta não apropriada a um determinado comportamento, “ressignificando-a” e a 2a Coisa boa “essa de ter ainda tantas dúvidas”, sinal que ainda não vivi tudo, podendo compartilhar os meus conhecimentos com o outro e aproveitando o dele, para daí nascerem novas perguntas, novos “querer aprender” fazendo desta forma o aumento de formas e a flexibilidade de as usar, na minha visão de Mundo, que acaba gerando uma “historia de vida pessoal cada vez mais rica”.
Estou feliz por você. Sempre te admirei muito. Beijinhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s