Categorias
Carreiras - Construção e Transição

Dizendo Não

Na semana passada, andei conversando com um head hunter que recruta jovens para o mercado de trabalho e ouvi uma coisa que nunca havia imaginado. Ele me disse que nem chamava profissionais oriundos de algumas faculdades não porque a formação técnica fosse ruim, mas porque eles não têm nenhum preparo na área de comportamento. Algumas das coisas de que ele se queixou foram a falta de resposta ao final do processo e a ausência em entrevistas marcadas quando os candidatos não aparecem nem avisam que vão faltar, enfim, a uma série de pequenas indelicadezas que mostram pouca elegância e educação.

Não sei se esse fenômeno tem a ver apenas com os jovens em início de carreira, mas acho interessante falar para todo mundo porque um descuido pode fazer você se comportar dessa maneira e fazer perder muitos precisos pontos conquistados com muito trabalho e esforço.

Então, se você participou de um processo de seleção e, ao final, descobriu que a posição não será boa para você, não tenha receio de dizer não. Se descobriu no meio do processo, não deixe para comunicar somente no final. Não perca o seu tempo nem o do recrutador. Não pense em sumir, não atender ao telefone ou dar desculpas para não falar com a pessoa com quem você interagiu no processo. Você tem todo o direito de não querer o trabalho, mesmo que tenha se interessado num primeiro momento.

Seja delicado, diga que concluiu durante o processo que a vaga não é exatamente compatível com suas atuais expectativas, mas seja firme. Comunique sua decisão pessoalmente se for possível, mas por telefone não fica ruim. Até um email poderá resolver a questão mas não é tão efetivo ou gentil quanto um telefonema ou uma visita. Agradeça a oportunidade e diga o quanto se sentiu lisonjeado por ter sido lembrado para a vaga. Se tiver interesse na proposta para o futuro, proponha retomar o contato dentro de alguns meses. Se não tiver, lembre-se que você poderá precisar de outra posição oferecida pelo mesmo recrutador em outro momento, fique com o contato e deixe uma boa impressão.

Se conhecer uma pessoa mais adequada para o cargo pergunte se pode indicar o nome de alguém de suas relações para o emprego. Isso poderá ser simpático para a empresa e você poderá ajudar um amigo que esteja atrás de oportunidades. Não indique para o cargo alguém mal qualificado. Mesmo que você tenha descoberto que a vaga não lhe serve no momento, indicar alguém fraco vai dar a impressão de desprezo pelo processo de recrutamento do qual você participou. Isso desvaloriza automaticamente seu próprio passe.

Viu como é fácil? Pequenos gestos gentis deixam portas abertas e possibilidades de oportunidades em outras ocasiões. Tenha certeza de que, se você precisar, isso fará uma grande diferença. Se não precisar… Bem, no mínimo você garantiu simpatia e boa vontade.

Por Maria do Carmo Marini

Há dez anos trabalhando com pessoas, seu desenvolvimento e o que elas querem dizer ao mundo, minha formação eclética me levou a viver experiências profissionais mais lúdicas e generosas . Escrevo artigos e livros, além de produzir conteúdo moderno, bem fundamentado e num visual extremamente prazeroso para clientes de diferentes segmentos.
Faço parte de uma tribo otimista e alegre e acredito que o mundo tem potenciais inexplorados e fascinantes a serem descobertos. Considero a família – marido, filhos, netos, irmãs e irmãos – meu porto seguro. Curiosidade e paixão pela vida me fazem aprender e buscar coisas novas sempre. Adoro gente inteligente e elegante. Viagens, cinema e livros me encantam, bem como encontrar os amigos para compartilhar boa comida e boa bebida. Estou sempre disposta a compartilhar experiências, conhecimentos e estórias.

Minha formação viaja de Engenharia Elétrica, passa por Consultoria de Carreira e Desenvolvimento de Pessoas, e mais umas coisinhas. Passo a vida a aprender, o que me permite produzir conteúdo de qualidade e compartilhar informações interessantes nas mídias sociais. Tenho especialização em Comunicação Corporativa pela FGV, Curadoria do Conhecimento pela Inesplorato e pós-graduação em Consultoria de Carreira pela FIA-USP. Sou parceira estratégica do Escritório de Carreiras da USP.

3 respostas em “Dizendo Não”

Alguns cuidados, atenção e educação são muito importantes…….. sempre! Parabéns pelo artigo!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s