Categorias
Confetes e News

Os termos que definem o jeans

Andei lendo uma reportagem na revista Vogue sobre os diversos tipos de jeans que estão no mercado. Confesso que não imaginava que existissem tantos e achei que valia a pena partilhar com vocês o que aprendi. Na verdade, o que fica evidente a todo mundo é que nem existem tantas diferenças, mas o fato de fazer uma adaptaçãozinha aqui e outra ali, permite que novos nomes modernos deem sabor de novidade àquela que é a mais democrática de todas as roupas. Dê uma olhada abaixo e veja as calças jeans que estão na moda.

A calça skinny é bem comum, é bem justa, com a perna estreita no tornozelo. Tem gente que chama de slim fit. Se você é magra, use e abuse. Se for mais gordinha, fica mais complicado, mas a blusa que acompanha pode deixá-la ótima, se for mais comprida, lisa e escura. A skinny tem uma variação chamada boot cut, que é mais comprida e com a boca mais larga, para usar com a bota por baixo. Muito interessante agora que o inverno vem chegando. Nessa linha justa, a mais moderna é a jegging, que é uma junção de jeans com legging, colada na perna. Alguns a chamam de superskinny ou second skin e os cuidados para usar são os mesmos das leggings.

A calça carrot é afunilada nos tornozelos, larga nos quadris e se você usar, vai lembrar uma cenoura. Fica bacana, não se preocupe. Eu gosto mais com salto alto porque acho que com salto baixo achata um pouco a figura. A clochard tem cintura alta e é ampla. Precisa de cinto ou faixa na cintura para acentuar o efeito e deve ser usada com blusa sequinha, senão fica muito pano e você pode parecer gorda.

A relaxed também é larguinha, com gancho mais baixo, bem cara de descanso. Também precisa de um cinto para segurar e mostrar o efeito. Entre as largas ainda pode-se encontrar a boyfriend, geralmente usada com a barra dobrada para dar a impressão de ser roubada do namorado. As cropped são mais curtas, com a barra cortada ou dobrada e pode-se dizer que são as antigas calças pescador.

Tem um modelo que eu acho o máximo que é a motorcycle jeans. Ela tem costuras reforçadas e patches para reforçar os joelhos, calça de motoqueira mesmo. Tem outra muito moderna, que eu não sei bem se gosto, pois tem a aplicação de um pigmento chamado de “sujinho” que dá um efeito de velha, ou vintage. As distressed denim são rasgadas e puídas e combinam com festas muito loucas. As acid washed são manchadas de um jeito uniforme e as ombré ou dip dye têm uma lavagem com um efeito degradé, muito bonitas.

Enfim, um bom jeans no armário representa uma enorme gama de possibilidades, portanto é muito bom ter pelo menos um.

Por Maria do Carmo Marini

Há dez anos trabalhando com pessoas, seu desenvolvimento e o que elas querem dizer ao mundo, minha formação eclética me levou a viver experiências profissionais mais lúdicas e generosas . Escrevo artigos e livros, além de produzir conteúdo moderno, bem fundamentado e num visual extremamente prazeroso para clientes de diferentes segmentos.
Faço parte de uma tribo otimista e alegre e acredito que o mundo tem potenciais inexplorados e fascinantes a serem descobertos. Considero a família – marido, filhos, netos, irmãs e irmãos – meu porto seguro. Curiosidade e paixão pela vida me fazem aprender e buscar coisas novas sempre. Adoro gente inteligente e elegante. Viagens, cinema e livros me encantam, bem como encontrar os amigos para compartilhar boa comida e boa bebida. Estou sempre disposta a compartilhar experiências, conhecimentos e estórias.

Minha formação viaja de Engenharia Elétrica, passa por Consultoria de Carreira e Desenvolvimento de Pessoas, e mais umas coisinhas. Passo a vida a aprender, o que me permite produzir conteúdo de qualidade e compartilhar informações interessantes nas mídias sociais. Tenho especialização em Comunicação Corporativa pela FGV, Curadoria do Conhecimento pela Inesplorato e pós-graduação em Consultoria de Carreira pela FIA-USP. Sou parceira estratégica do Escritório de Carreiras da USP.

Uma resposta em “Os termos que definem o jeans”

Passei a ser leitor assíduo desse site. Os comentários são muito interessantes e tratados de forma leve, arejada, consequente e democrática. Tem grande utilidade para melhorar e aprimorar as relações entre o capital e o trabalho. Dá dicas efetivas, sem discriminar quem quer que seja. Carmo Marini e companhia luxuosa encontraram um nicho interessante no mercado de informação. A matéria anterior, abordando relacionamentos no âmbito do trabalho, recebeu tratamento objetivo e sem moralismos baratos.

Amplexos e ósculos em profusão do

Arnaldo Jubelini Junior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s