Categorias
Carreiras - Construção e Transição

Enfrentando um jantar de negócios – o vinho

Então chegou a noite daquele jantar de negócios importante, do qual poderá resultar uma promoção. A roupa está perfeita, você até sabe o que vai comer (pouco!!!), mas o mais importante personagem da noite é um conhecedor de vinhos que é famoso por querer deslumbrar a todos com seus conhecimentos. Certamente outros vão entrar na conversa dele e você não quer ser a única com cara de tonta na mesa.

saturday school

Pois bem, primeiro saiba que não é pecado não ser um expert. Nem tente para não dar vexame. Diga que seu gosto para vinho é simples, que você só sabe quando o vinho é bom ou ruim e se combina com o que você está comendo. Sugira que o “entendido” escolha o vinho. Ele vai adorar! Entretanto, para não ficar sem saber nada, aqui vão algumas poucas informações.

Existem três tipos básicos de vinhos, segundo a cor, além dos espumantes. Os tintos são produzidos com enorme variedade de uvas  e são diferentes em razão da região de produção ou das técnicas de fabricação. Podem ser leves como os Valpolicella, o Beaujolais Nouveau, os Bourgogne, os Côtes-du-Rhône, a maioria dos Bordeaux, outros espanhóis, italianos e portugueses, além dos diversos produzidos no Chile, na Austrália e na Nova Zelândia. Não dá para esquecer ainda os Malbec argentinos que são de textura média e que fazem bastante sucesso nos jantares brasileiros. Os mais fortes são mais concentrados e de cor profunda, como os Cabernet Sauvignon e Brunello di Montalcino, italianos.

Os brancos, feitos com uvas brancas, são mais simpless em aroma e sabor. São os Bordeaux brancos, os Chablis, os Frascati, por exemplo Podem também ser frutados e aromáticos como os alemães de uvas Rieslings e os Rieslings misturados com Gewürztraminer franceses. Também podem ser encorpados e aromáticos como os Bourgogne brancos, os do vale do Loire e da Rioja espanhola. Os brancos doces são vinhos para acompanhar sobremesa. O doce característico vem da própria uva que fica mais tempo amadurecendo nas parreiras. O mais famoso é o francês Sauternes, da região de Bordeaux (uvas Sémillon e Sauvignon).

Os rosés são produzidos com uvas tintas das quais tiram-se as cascas durante o processo de fabricação. Os melhores são produzidos na França, nos vales do Rhône e do Loire. Somente de uns tempos para cá reapareceram no Brasil e agora estão “na moda”.

Os espumantes são feitos de uvas brancas ou tintas, só que contêm gás. que produz as borbulhas O melhor exemplo é o feito na região de Champagne (na França). Também são produzidos em outras regiões da França (não podem ser chamados champagne, mas são a mesma coisa), na Itália, na Espanha, na Alemanha e mesmo no Brasil, no Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul. Os espumantes brasileiros produzidos no Rio Grande do Sul têm recebido inúmeros prêmios internacionais e possuem um excelente custo-benefício.

Bem esses são os mais comuns. Obviamente, se você quiser aprender mais sobre vinho, faça um curso, pois existem cursos excelentes em São Paulo e em outros estados. Participe de degustações também pois esse é um meio muito interessante de conhecer a apurar seu gosto (e ampliar seu círculo de amizades). Só não aprenda a ser aquele chato que, de tanta erudição, atrapalha o prazer de beber um bom vinho com boa comida e pessoas interessantes.

Por Maria do Carmo Marini

Há dez anos trabalhando com pessoas, seu desenvolvimento e o que elas querem dizer ao mundo, minha formação eclética me levou a viver experiências profissionais mais lúdicas e generosas . Escrevo artigos e livros, além de produzir conteúdo moderno, bem fundamentado e num visual extremamente prazeroso para clientes de diferentes segmentos.
Faço parte de uma tribo otimista e alegre e acredito que o mundo tem potenciais inexplorados e fascinantes a serem descobertos. Considero a família – marido, filhos, netos, irmãs e irmãos – meu porto seguro. Curiosidade e paixão pela vida me fazem aprender e buscar coisas novas sempre. Adoro gente inteligente e elegante. Viagens, cinema e livros me encantam, bem como encontrar os amigos para compartilhar boa comida e boa bebida. Estou sempre disposta a compartilhar experiências, conhecimentos e estórias.

Minha formação viaja de Engenharia Elétrica, passa por Consultoria de Carreira e Desenvolvimento de Pessoas, e mais umas coisinhas. Passo a vida a aprender, o que me permite produzir conteúdo de qualidade e compartilhar informações interessantes nas mídias sociais. Tenho especialização em Comunicação Corporativa pela FGV, Curadoria do Conhecimento pela Inesplorato e pós-graduação em Consultoria de Carreira pela FIA-USP. Sou parceira estratégica do Escritório de Carreiras da USP.

3 respostas em “Enfrentando um jantar de negócios – o vinho”

O presidente da empresa em que meu marido trabalha convidou-nos para um fim de semana na casa de praia dele. Chegaremos sábado pela manhã e ficaremos até domingo depois do almoço. O que eu devo levar (Toalhas de praia e de banho? Itens de higiene pessoal? Comida? Bebida? Presentes?). O que devo vestir em cada ocasião?

Cara Marta

Veja o post que publicarei amanhã tratando desse assunto. Foi ótima a sua questão, pois essa é uma situação que acontece com muita gente.

Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s